Displasia do Quadril: saiba o que é, quais as causas e qual o tratamento.

Displasia do Quadril: saiba o que é, quais as causas e qual o tratamento.

Uma das patologias ortopédicas que normalmente acomete as crianças é a displasia do quadril, caracterizada por um desenvolvimento anormal da articulação coxofemoral.

Ainda que seja mais comum em crianças, essa condição também pode afetar adolescentes e adultos e por isso é tão importante entender as suas causas e tratamentos.

Neste artigo, vou explorar os diversos aspectos relacionados a essa patologia, desde sua definição até métodos de identificação e tratamento, fornecendo uma visão abrangente sobre essa condição ortopédica. Boa leitura!

O que é Displasia do Quadril?

A displasia do quadril, também conhecida como displasia do desenvolvimento do quadril (DDQ) ou luxação congênita do quadril (LCQ), é uma condição ortopédica caracterizada por um desenvolvimento anormal da articulação coxofemoral. 

Essa anomalia compromete a congruência adequada entre a cabeça do fêmur e o acetábulo, levando a um encaixe inadequado,causando instabilidade, dor e degeneração articular.

Na displasia, o desenvolvimento inadequado ocorre durante a fase embrionária ou nos primeiros meses de vida, resultando em uma articulação malformada.

A alteração da forma do acetábulo e a posição anômala da cabeça do fêmur são características comuns. E por isso exigem uma atenção redobrada.

Quais são os sintomas em adultos e bebês?

Essa condição pode se manifestar de maneiras distintas em diferentes faixas etárias, apresentando sintomas específicos tanto em adultos quanto em bebês.

É preciso identificar esses sinais para o diagnóstico precoce e a implementação de tratamentos eficazes. Abaixo, detalhamos os sintomas característicos em cada grupo:

Em adultos

  • Dor persistente na região do quadril, que pode se estender para a virilha;
  • Dificuldade em realizar movimentos específicos, como girar a perna para dentro ou para fora;
  • Sensação de instabilidade ou “travamento” da articulação do quadril;
  • Claudicação, ou seja, uma alteração no padrão de caminhada devido à dor ou desconforto.

Em bebês

  • Dificuldade em movimentar as pernas completamente;
  • Assimetria nas pregas da pele das coxas, com uma perna parecendo mais curta que a outra;
  • Estalos ou cliques audíveis durante os movimentos das pernas;
  • Limitação de movimento ao trocar a fralda, com a percepção de que uma perna é menos flexível que a outra.

Leia também sobre: 7 dicas de cuidados pós-cirúrgicos após uma cirurgia no quadril

Causas da Displasia do Quadril

Essa condição pode resultar de fatores genéticos, ambientais e mecânicos. 

Os fatores genéticos são uma das principais causas dessa anomalia, vindo de um possível histórico familiar de displasia do quadril, ou qualquer outra anormalidade nas articulações, aumentando assim o risco de desenvolvimento da condição.

No caso dos bebês, um dos motivos pode ser a maneira que ele fica posicionado no útero durante a gestação. 

É importante entender de onde a displasia pode vir, para que assim seja evitado o surgimento dela, pelo menos na fase adulta.

Como identificar Displasia do Quadril em bebês

Existem métodos específicos de identificação que os profissionais de saúde utilizam durante as consultas de rotina e exames especializados. Aqui estão algumas abordagens comuns para identificar em bebês:

  • Exame Físico Clínico (avaliação física, observando a mobilidade das pernas e a simetria das pregas da pele nas coxas);
  • Teste de Barlow (movimento delicado de empurrar suavemente a cabeça do fêmur para fora do acetábulo para verificar a estabilidade da articulação);
  • Teste de Ortolani (movimentação das pernas do bebê para dentro e para fora, sentindo se há algum clique ou deslocamento anormal na articulação);
  • Ultrassonografia de Quadril.

A identificação precoce desses sinais permite que intervenções sejam implementadas, muitas vezes por meio do uso de dispositivos ortopédicos específicos, ajudando a guiar o desenvolvimento adequado da articulação do quadril durante a fase crucial de crescimento.

Está gostando? Leia também: Quais são as possíveis lesões dos joelhos e quadris?

Qual o melhor tratamento para Displasia do Quadril?

Abordagens conservadoras são frequentemente preferidas, especialmente em bebês, enquanto intervenções mais invasivas podem ser necessárias em casos mais avançados ou em adultos. Aqui estão algumas opções de tratamento comuns:

Tratamento em bebês

  1. Dispositivos ortopédicos: o uso de dispositivos como o suspensório de Pavlik é comum para manter as pernas do bebê em uma posição específica que favoreça o desenvolvimento normal da articulação do quadril.
  2. Fisioterapia: exercícios suaves e direcionados podem ser recomendados para promover a estabilidade e mobilidade adequadas da articulação.
  3. Monitoramento regular: a observação contínua é essencial para avaliar a resposta ao tratamento e ajustar as abordagens conforme necessário.

Tratamento em adultos

  1. Fisioterapia e exercícios específicos: fortalecimento dos músculos ao redor da articulação do quadril para melhorar a estabilidade e reduzir a dor.
  2. Medicamentos: anti-inflamatórios e analgésicos podem ser prescritos para aliviar a dor e a inflamação.
  3. Cirurgia: em casos mais graves, especialmente quando outras opções não são eficazes, procedimentos cirúrgicos como osteotomia ou artroplastia (prótese) podem ser considerados para corrigir a anatomia da articulação.

A escolha do tratamento depende da avaliação detalhada feita pelo profissional de saúde, considerando a idade, o estágio da doença e a resposta individual do paciente às abordagens terapêuticas. 

Conclusão

Como pudemos ver neste artigo, a compreensão dos sintomas em diferentes faixas etárias, a identificação precoce, as causas subjacentes e as opções de tratamento são elementos fundamentais para gerenciar eficazmente essa condição.

A conscientização sobre fatores de risco, como histórico familiar, e a implementação de práticas preventivas são essenciais para reduzir a incidência. 

Em última análise, uma abordagem abrangente que combina prevenção, diagnóstico precoce e tratamento personalizado é essencial para enfrentar os desafios apresentados.

Portanto, se você quiser saber mais sobre a Displasia do Quadril, entre em contato comigo, Dr. Leandro Calil. Terei um imenso prazer em avaliar o seu caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros posts

Congresso Anual SBOT - Participação do Dr. Leandro Calil em 2023

Congresso Anual SBOT – Participação do Dr. Leandro Calil em 2023

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) é conhecida por sediar um dos eventos mais importantes da área médica no Brasil: seu congresso anual.  No cenário de constante evolução da ciência ortopédica, cada edição traz uma riqueza de conhecimento e inovação. Entre os ilustres participantes, destacou-se o Dr. Leandro Calil. Sua presença e contribuição

Leia mais »
Estalo no Joelho pode ser Lesão de Menisco? Descubra nesse post!

Estalo no Joelho pode ser Lesão de Menisco? Descubra nesse post!

O estalo no joelho é uma ocorrência comum e muitas vezes pode ser um sintoma de uma lesão de menisco. Vale destacar que o menisco é uma estrutura essencial para a estabilidade e função adequada do joelho.  Neste artigo, vou mostrar o que é uma lesão de menisco, seus sintomas, causas, diagnóstico, tratamento e fornecer

Leia mais »
Rolar para cima